COMUNICAÇÃO AFETIVA

• Comunicação não verbal – ligado à emoção.
• Tem haver com encontro – interação entre pessoas.
• Pressupõe acordo – acordo tônico.
• Relacionado ao afeto – afetividade.
• Nossa primeira comunicação social.

Desenvolvendo a consciência do diálogo tônico, nos colocamos melhor nas relações sociais e entendemos melhor a postura das pessoas com quem nos comunicamos.

Modulando a postura corporal para demonstrar aceitação, acolhimento e interesse pelo outro.
Fazemos isso para gerar empatia e facilitar a interação.

DIÁLOGO TÔNICO – PRESENÇA

• Comunicação não verbal – ligado à emoção.
• Tem haver com encontro – interação entre pessoas.
• Pressupõe acordo – acordo tônico.
• Relacionado ao afeto – afetividade.
• Nossa primeira comunicação social.

Desenvolvendo a consciência do diálogo tônico, nos colocamos melhor nas relações sociais e entendemos melhor a postura das pessoas com quem nos comunicamos.

Modulando a postura corporal para demonstrar aceitação, acolhimento e interesse pelo outro.
Fazemos isso para gerar empatia e facilitar a interação.

ESCUTA AFETIVA – ESCUTA

• Comunicação verbal, ativa e não violenta.
• Para identificar ruídos no modo de falar e ouvir.
• Para aprender a elaborar pensamento e fala.
• Para reduzir distúrbios e mediar conflitos relacionais.
• Focada na empatia e na compreensão.

Com a escuta afetiva nos apresentamos mais empático, atento e compassivo no processo da comunicação e interação.

Promovendo a intenção de ouvir, sentir e reconhecer o outro e a nós mesmos, desenvolvemos uma comunicação eficiente e afetivamente comprometida com a atenção.

Fazendo assim, inspiramos confiança e garantimos eficiência na comunicação verbal.

MEDITAÇÃO – PRESENÇA

• Campo de conexão
• Para direcionar a atenção
• Para ampliar o contato
• E ampliar o foco

Através da meditação, estimulamos a consciência e a potência espiritual do ser. Nos direcionamos a aprender a SER.

Ela está em tudo que fazemos, é a nossa presença, são os nossos acordos de respeito e empatia com cada um e com todos.

VISÃO SISTÊMICA – VISÃO

• Campo de percepção
• Para enxergar as dinâmicas invisíveis
• Para identificar crenças limitantes
• Para alinhar os afetos, as palavras e os sentidos.

As relações entre pessoas são sempre troca de informações, às vezes claras outras vezes subliminares e imperceptíveis. Sofremos influência de tudo que nos rodeia e, principalmente, da história sistêmica de nossa família.

Com a visão sistêmica podemos compreender comportamentos e atitudes nossas e das pessoas com quem nos relacionamos.

Assim, aumentamos nossa percepção, nossa empatia e podemos tomar decisões comprometidas com o equilíbrio e a harmonia.